tecnologia-impacto-social
Conteúdo para empresas

Tecnologia para impacto social: como gerir a transformação na empresa

Se está a par das tendências do mercado e gosta de saber quais serão as principais transformações, já sabe que os conceitos de tecnologia e impacto social estão lado a lado nesta caminhada.

A verdade é que, enquanto as empresas se focam na necessidade de agir para gerar impacto positivo, também percebem que é quase impossível promover transformações, medir resultados e encontrar os parceiros ideais para materializar as iniciativas sem a ajuda da tecnologia e da inovação. 

Neste caminho, os empreendimentos sociais podem escolher usar várias tecnologias disruptivas para gerar impacto, tais como:

  • Inteligência artificial;
  • Chatbots;
  • Big data;
  • Blockchain;
  • Internet das coisas; 
  • Etc. 

A sua empresa está à procura de alternativas para viabilizar o impacto social? Tem dificuldades em medir resultados e acompanhar ações na sua totalidade? Não está a conseguir transpor as barreiras geográficas para encontrar os parceiros ideais para o negócio? A solução para todos estes desafios está descrita no artigo de hoje. 

Continue a ler para saber mais sobre: 

  • Como o mercado incorporou a ideia da tecnologia aliada ao impacto e à inovação; 
  • Porque as empresas precisam entender o potencial da tecnologia para promover a transformação;
  • Como a sua empresa pode usar a tecnologia para promover e medir o impacto social.  

Inovação, tecnologia e impacto social: para que futuro o mercado aponta? 

Certamente já percebeu que o mundo está a mudar. Uma simples leitura das notícias na internet mostra que termos como ESG, sustentabilidade, valor partilhado e impacto social estão em alta, e estão presentes na boca de empresas de grande e pequeno porte, startups e ambientes governamentais. 

Para ter uma ideia da dimensão deste movimento, a União Europeia está a trabalhar na primeira norma internacional que estabelece obrigações e responsabilidades para as empresas sobre critérios ESG. Nesta proposta de diretiva, o Parlamento Europeu reconhece a necessidade de regular um padrão de conduta obrigatório para as empresas que operam no mercado europeu e às suas cadeias de fornecimento fora do território da UE neste sentido.

Cada vez mais há esta preocupação no setor e o grande impulsionador deste movimento foi o consumidor. 

Com a exigência dos clientes, que escolhem agora as suas marcas preferidas tendo em consideração o seu posicionamento sustentável e social, as empresas foram obrigadas a atender às necessidades da sociedade. 

Esta mudança contribuiu para a intensificação dos chamados empreendimentos sociais e para a extrapolação da noção de Responsabilidade Social Empresarial

De um conceito ligado à realização de ações pontuais com orientação filantrópica, as empresas passaram a perceber a necessidade de um movimento mais intenso e contínuo. Esse processo culminou na integração de negócios com agendas como os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e o Pacto Global. 

Desafios das empresas

Mas como tornar o impacto social constante na sua empresa? Como incorporar projetos em parceria com as comunidades na rotina da sua empresa? Os desafios são muitos e de várias naturezas: 

  • Logística: muitas empresas não dispõem de toda a mão de obra necessária para estruturar um setor de sustentabilidade ou de impacto social; 
  • Orçamento: embora os conceitos ligados ao impacto social já integrem muitas agendas empresariais, ainda há dificuldade em direcionar valores mais elevados do orçamento para o desenvolvimento destes programas
  • Execução: dificuldade em gerir parcerias com Organizações Sociais, na gestão de voluntários e no planeamento por etapas.
  • Medição: muitas empresas encontram os seus próprios caminhos e criam programas completos e bem desenvolvidos, mas têm dificuldades em medir e parametrizar os resultados encontrados. 

Quais as alternativas para contornar estes obstáculos e promover impacto social na empresa? As soluções podem ser muitas, mas o fio condutor é só um: a tecnologia. 

Porque deve a sua empresa usar tecnologia para gerar impacto social? 

Daniel Cavaretti, Country Manager da esolidar, afirma que “a verdadeira revolução tecnológica trouxe a consciência de que, mais do que a preocupação com o produto, é preciso preocupar-se com a forma de fazer negócio.” 

Nesse sentido, a tecnologia surge como veículo para promover inovação e facilitar processos antes complexos e desafiantes:

  • Aproxima atores de processos. Mesmo quando focam nas comunidades em redor, as empresas enfrentam dificuldades para identificar e captar os agentes de transformação desses espaços. Com a ajuda da tecnologia, essa distância é encurtada ou até eliminada, uma vez que as empresas podem criar notas e editais e usar plataformas para ligar o seu propósito ao de projetos sociais e iniciativas de impacto, nas regiões em que atua.  
  • Simplifica e agrega soluções. Com a tecnologia, é possível realizar reuniões com parceiros, capacitar e desenvolver ações de voluntariado de competências, rapidamente. Todo esse processo funciona ainda melhor quando todas as ações da campanha desenhada acontecem numa só plataforma. 

Como usar a tecnologia para gerar impacto social?

Separamos 3 casos em que o uso da tecnologia para impacto social se materializa através de  plataformas e ferramentas que viabilizam a condução e o acompanhamento de ações em conjunto com as comunidades circundantes. É o caso da esolidar. 

Veja como a nossa plataforma canaliza a tecnologia para gerar impacto social:

Criar e gerir comunidades de voluntários

Através de uma só plataforma, é possível reunir e gerir a equipa de voluntários de uma empresa ou projeto. Na esolidar, por exemplo, a equipa de voluntários tem acesso a um mural social, que funciona como uma rede contributiva e colaborativa. 

Nessa ferramenta é possível trocar informações, propor debates e criações coletivas e acompanhar, de forma colaborativa, o andamento de projetos e ações. 

Promover chamadas para angariar projetos sociais que se encaixam com o perfil da empresa 

O Human Power Hub, centro de inovação social localizado em Braga, utiliza a plataforma esolidar para gerir toda a sua comunicação com os projetos acelerados. 

O primeiro passo é a promoção de editais para a angariação de projetos de impacto social. Uma vez recebidos e selecionados, os projetos são inteiramente geridos e desenvolvidos com o suporte da plataforma, que possibilita a troca de informações e aproxima os projetos acelerados de quem os ajuda a acelerar. 

Para ter uma ideia, entre 2020 e 2021, 19 projetos foram recebidos para uma nova rodada de acelerações. 

E por falar em Aceleração…

Com a plataforma da esolidar, encontra todas as ferramentas necessárias para promover Programas de Aceleração de Impacto Social de início ao fim.

A abertura de editais, angariação de projetos, aceleração e criação de ações para a subsistência dos projetos acelerados a curto prazo são inteiramente conduzidos numa só interface, que pode ser gerida por um único utilizador-mestre. 

E há mais! A plataforma da esolidar também oferece relatórios de desempenho que ajudam a empresa a medir os resultados das ações e a desenvolver planos estratégicos de continuidade. Em resumo, a esolidar sabe como ninguém o caminho para unir tecnologia e impacto social. Gostou do artigo? Que tal conversar com a nossa equipa comercial para entender como as nossas soluções podem ser incorporadas na sua empresa?

Share via
Copy link
Powered by Social Snap
Close Bitnami banner
Bitnami